Hoje é Terça, 23 Ago 2016
Você esta aqui:    
Curso Capacitação Sindifar PDF Imprimir E-mail
FORMAÇÃO DE AUDITOR INTERNO
PARA A INDÚSTRIA DE MEDICAMENTOS
BPF - RDC 17/2010
30 e 31 de Agosto de 2016
Carga horária: 16h
 
OBJETIVOS: As auto-inspeções e as auditorias de qualidade têm por objetivo verificar o cumprimento das Boas Práticas de Fabricação - BPF (RDC 17/2010) pelo laboratório. Serão apresentados todos os requisitos relevantes para auto-inspeção em BPF, as técnicas apropriadas para sua implementação, manutenção e melhoria contínua, bem como os benefícios da realização da auditoria interna.
PÚBLICO-ALVO: Equipes do sistema de qualidade e profissionais ligados à produção de medicamentos, bem como todos aqueles que, de alguma forma, são responsáveis pela eficácia do Sistema de Gestão em BPF.
 
INSCREVA-SE por aqui: Ficha de inscrição
 
Manual de Submissão do PATE PDF Imprimir E-mail
A ANVISA disponibilizou em seu site o novo Manual de Submissão do PATE, o parecer faz parte de um conjunto de documentos solicitados na nova norma de pós-registro.
A Anvisa se reuniu com as associações das indústrias farmacêuticas para a apresentar os resultados do Projeto Piloto do Parecer Avaliação Técnica da Empresa (PATE). O parecer faz parte de um conjunto de documentos solicitados na nova norma de pós-registro, a RDC 73/2016. A proposta foi mostrar ao setor produtivo quais informações devem constar no PATE e esclarecer o que a Agência espera em cada tópico.
Cada associação participante do Projeto Piloto apresentou as principais dúvidas e dificuldades na elaboração do PATE. Diante disso, a Agência disponibiliza o resultado da avaliação de dez pareceres com os principais tópicos que necessitam de melhorias, os acertos observados, além de uma breve explicação sobre a forma de avaliação de petições de implementação imediata.
 
Com base nas avaliações a Agência elaborou:
 
5º CIMES 2016 PDF Imprimir E-mail
CIMES - Congresso de Inovação em Materiais e Equipamentos para a Saúde
 
O CIMES possui o objetivo de discutir sobre a efetividade das políticas públicas da saúde e propor melhorias e novos caminhos para elevar a competitividade dos produtos nacionais.
Apesar do momento de restrição fiscal e redução de investimentos públicos em pesquisa de desenvolvimento e inovação, ainda é tempo de inovar, ainda que nas questões regulatórias. Segundo Marcos Vinicius de Souza, secretário de Inovação e Novos Negócios do MDIC - Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Abordou o Marco Legal da Ciência, Tecnologia e Inovação, que promove ações para o incentivo à pesquisa e ao desenvolvimento científico e tecnológico: “A ideia do marco legal é aproximar as universidades das empresas, tornando mais dinâmicos a pesquisa, o desenvolvimento científico e tecnológico e a inovação no país, além de diminuir a burocracia nos investimentos para a área, retirando algumas inseguranças jurídicas que causavam sérios problemas no relacionamento universidade-empresa”. Souza destacou a mudança que agora permite às universidades ou centros de pesquisa negociar e gerir os acordos de exclusividade, ou transferência de tecnologia às empresas.
Para Leandro Pereira gerente geral de Tecnologia de Produtos para Saúde da ANVISA, discutir a inovação é necessário para um mercado bastante dinâmico como o mercado de produtos para a saúde: “Nesse contexto a Anvisa tem um papel bastante importante, pois, sabemos que os países que tem mais inovações, são os que têm uma regulação mais evoluída”. Salientou a diminuição dos prazos de registro da Agência, demanda discutida desde a primeira edição do CIMES, em 2012. “Esse é o papel da agência, que vai além da segurança da população brasileira e também tem a incumbência de desenvolver o mercado brasileiro de produtos para a saúde.”
Leia a matéria completa sobre o evento.
 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>

Página 1 de 60