Hoje é Domingo, 25 Jan 2015
Você esta aqui:    
Publicação de nova lei que inclui altera lei da Vigilância Sanitária PDF Imprimir E-mail
A Presidência da República publicou a Lei 13.097/2015 que altera diversas leis, inclusive três que impactam na produção de medicamentos que estão no CAPÍTULO X – DA VIGILÂNCIA SANITÁRIA
São elas
a) Lei 6.360/76: Vigilância Sanitária
b) Lei 9.782/99: Regulação - criação da ANVISA
c) Lei 5.991/73: Comércio de Drogas, Medicamentos, Insumos Farmacêuticos e Correlatos.
 
As 10 maiores empresas farmacêuticas de 2014 PDF Imprimir E-mail

Em 2014, 871,7 milhões de unidades de medicamentos genéricos foram vendidos no país, um negócio que gerou um faturamento de R$ 13,7 bilhões para as empresas do setor, 18,5% em relação ao ano anterior.

As informações são da Associação Brasileira das Indústrias de Medicamentos Genéricos, a PróGenéricos, com base nos indicadores do IMS Health.

“Com preços, em média, 60% inferiores aos produtos de referência, os genéricos ganham ainda mais relevância em cenários de economia estagnada e risco de comprometimento na renda”, afirma Telma Salles, presidente executiva da PróGenéricos, por meio de comunicado.

A seguir, confira a lista das empresas que mais faturaram com a venda de remédios no país, segundo levantamento da PróGenéricos, com base em dados da IMS Health, com destaque para o grupo Takeda, tendo a representante associada do Sindifar Multilab.

As 10 maiores empresas farmacêuticas de 2014

Posição

Empresa

Desempenho

E M S

Apenas com a área de venda de medicamentos, a EMS faturou US$ 3,4 bilhões no ano passado, valor 5,79% maior em relação a 2013. A companhia também foi a que mais vendeu genéricos no país, segundo o estudo: US$ 2,084 bilhões, ou seja, 62% de toda a sua receita veio dessa modalidade.

Hypermarcas

Em 2014, a Hypermarcas faturou US$ 2,69 bilhões com vendas de remédios no Brasil, crescimento de 11,43% ante os resultados do ano anterior. A empresa foi a terceira entre as maiores vendedoras de genérico para os brasileiros, com US$ 817 milhões em faturamento.

Sanofi

Entre as dez maiores do setor, segundo a pesquisa, a Sanofi foi a única que apresentou queda de receita no período. A empresa faturou US$ 2,291 bilhões com remédios no país, 9,42% a menos que em 2013. A queda de genéricos comercializados pela companhia foi duas vezes maior e as vendas na modalidade somaram US$ 1,123 bilhão.

Novartis

Em 4º lugar no ranking aparece a Novartis com o faturamento de US$ 1,779 bilhão com a venda de medicamentos no Brasil, segundo o levantamento. A farmacêutica foi a 5ª que mais vendeu genéricos no país - US$ 591 milhões em vendas no ano.

Aché

A brasileira Aché faturou US$ 1,527 bilhão com remédios no país em 2014, 8,73% mais em relação a 2013. Do montante, US$ 433 milhões equivalem ao faturamento com genéricos.

Eurofarma

Em 6º lugar no ranking está a Eurofarma, empresa que somou US$ 1,33 bilhão em vendas de medicamentos para o Brasil, em 2014, e que apresentou o maior crescimento em relação a 2013: 18%.

Takeda

A Takeda Pharma aparece em 7º lugar entre as que mais venderam medicamentos no país em 2014 - US$ 869,3 milhões foram faturados no total, valor 1,15% maior em relação ao ano anterior. A empresa não figura entre as dez que mais venderam genéricos no país.

Bayer

A farmacêutica alemã faturou US$ 766,3 milhões com a venda de remédios no Brasil em 2014, número 6,21% superior ao atingido no ano anterior, segundo o estudo. 

Pfizer

Apenas com a venda de remédios no país, a Pfizer faturou US$ 736,6 milhões em 2014, 0,66% acima dos US$ 731,83 milhões vendidos um ano antes, de acordo com o levantamento.

10º

GSK

No ano, a companhia britânica GSK faturou US$ 658,9 milhões em medicamentos no Brasil, 1,33% a mais que em 2013, de acordo com o levantamento. A empresa é outra que não figura na lista das 10 companhias que mais venderam genéricos no Brasil. 

22/01/2015:Fonte Revista Exame

 
Contribuição Sindical - Exercício 2015 PDF Imprimir E-mail
Informamos que a TABELA PARA CÁLCULO DA CONTRIBUIÇÃO SINDICA/2015 foi libera pela Confederação Nacional da Indústria -CNI,  estando a mesma disponível no Sistema SIGA para emissão das respectivas guias de contribuição. Confira aqui.  
 
 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>

Página 1 de 36
Como você avalia a atuação do SINDIFAR/RS ?