Hoje é Segunda, 25 Mai 2015
Você esta aqui:    
Farmacêuticas investem em fitoterápicos PDF Imprimir E-mail
Com a sanção do novo marco legal da biodiversidade nacional, indústrias farmacêuticas 
irão investir pelo menos R$ 332 milhões em pesquisa e desenvolvimento de medicamentos
fitoterápicos até 2016.
 
 
A estimativa é da FarmaBrasil, entidade que representa laboratórios como Aché, Biolab,
Bionovis, Cristália, EMS e Eurofarma, com base em seus associados.
A mudança trará segurança jurídica no desenvolvimento de drogas feitas a partir de plantas
medicinais encontradas no Brasil e mais rapidez para a liberação.
Hoje, a autorização para o início de pesquisas clínicas demora cerca de quatro anos. Com o
novo marco, as empresas precisarão somente de um cadastro autodeclaratório.
"Além das indústrias que interromperam o desenvolvimento de novas drogas, há também
laboratórios que ainda não estão nesse mercado, mas que querem entrar", afirma Reginaldo
Arcuri, presidente da entidade.
A Biolab retomou seis projetos que estavam parados, que demandarão em torno de R$ 120
milhões em aportes.
"Estamos sendo procurados por empresas interessadas em desenvolver drogas em conjunto,
o que antes não ocorria", diz Dante Alário, sócio-diretor da Biolab.
O grupo quer ampliar de 3% para 15% a participação do segmento no faturamento em até
seis anos.
Fonte: Folha de S.Paulo, por Maria Cristina Frias (20/05/2015).
 
Marco da Biodiversidade sancionado pela presidenta Dilma PDF Imprimir E-mail
Nova Lei 7.735/2014 visa facilitar pesquisas e uso comercial de plantas e animais
Projeto foi apresentado em 2014, aprovado no Congresso em fevereiro, após 23 emendas
que alteraram o texto. O documento foi aprovado em 27 de abril e encaminhado para sanção
da presidente Dilma Rousseff em 20 de maio deste ano.
O Marco da Biodiversidade substitui a Medida Provisória 2.186-16, de 2001, incorporando
os compromissos assumidos pelo governo perante a Convenção da Diversidade Biológica (CDB),
tratado internacional das Nações Unidas que regula o tema. (ler materia completa)
 
 
 
Petições de BPF para Insumos Farmacêuticos Ativos Biológicos serão direcionadas à Coisc PDF Imprimir E-mail
A partir do mês de maio, as petições de Certificação de Boas Práticas de Fabricação
(BPF) referentes a insumos farmacêuticos ativos biológicos serão direcionados à
Coordenação de Inspeção de Insumos Farmacêuticos, Saneantes, Cosméticos e
Alimentos (Coisc) da Anvisa.
Os códigos de assunto descritos abaixo estarão disponíveis nas listas de petições
aguardando análise e, quando for o caso, aguardando inspeção:
70224 - MEDICAMENTOS - (Certificação de BPF) de INDÚSTRIA INTERNACIONAL
de INSUMOS FARMACÊUTICOS ATIVOS BIOLÓGICOS exceto MERCOSUL
70227 - MEDICAMENTOS - (Certificação de BPF) de INDÚSTRIA NACIONAL de
NSUMOS FARMACÊUTICOS ATIVOS BIOLÓGICOS
70221 - MEDICAMENTOS - (Certificação de BPF) de INDÚSTRIA do MERCOSUL de
INSUMOS FARMACÊUTICOS ATIVOS BIOLÓGICOS
De acordo com a área, as petições que tratarem de uma mesma planta utilizada para
a fabricação do insumo farmacêutico ativo biológico e do produto farmacêutico terminado
serão agrupadas e analisadas pela Coisc. A análise respeitará a ordem cronológica das
petições de insumos protocoladas.
 
Fonte: Anvisa (20/05/2015)
 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>

Página 1 de 44
Como você avalia a atuação do SINDIFAR/RS ?